Seguidores

terça-feira, 16 de maio de 2017

O homem mais feliz do mundo e a meditação




Trecho do documentário - A Revolução do Altruísmo. documentário que fala sobre essa capacidade única do ser humano de se colocar no lugar do outro e agir de acordo. Seria o homem um ser altruísta na sua essência? Ou egoísta? 

O documentário trás uma série de pesquisas e exemplos para comprovar que apesar de muitas provas do contrário, o ser humano é sim, altruísta na sua essência. 

Mas ele realmente fica interessante quando o pesquisador, professor e doutor Richard Davidson e o monge budista Matthieu Ricard entram em cena para demonstrar, através da Neurociência, como a meditação e o mindfulness podem sim transformar você numa pessoa melhor.

Conheça alguns estudos sobre a meditação no link abaixo:
Estudos sobre a meditação

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Juízes usam técnica da Constelação para resolver conflitos nos tribunais

A Constelação Familiar é um método terapêutico baseado no trabalho do filósofo alemão Bert Hellinger. Ele permite localizar e remover bloqueios do fluxo emocional que geram dificuldades pessoais, assim como problemas de relacionamentos. 

 Hellinger observou através de diversas formas de psicoterapia familiar que padrões de comportamento podem se repetir nas famílias e nos grupos familiares ao longo de gerações e ainda muitos problemas, dificuldades e mesmo doenças de seus clientes estavam ligadas a destinos de membros anteriores de seu grupo familiar.

sábado, 6 de maio de 2017

Meditação pode proteger o cérebro de doenças psiquiátricas

Do G1, em São Paulo

Pessoas mais experientes são capazes de 'desligar' áreas cerebrais. Técnica também pode contribuir para parar de fumar e lidar com o câncer. 



 Pessoas que têm experiência em meditação parecem ser capazes de “desligar” áreas do cérebro associadas a devaneios, transtornos psiquiátricos (como esquizofrenia) e autismo, segundo um novo estudo de imagens cerebrais feito por pesquisadores da Universidade Yale, nos EUA.

 O trabalho foi publicado  na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS).

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Meditação pode ajudar no tratamento de ansiedade e síndrome do pânico

Neia trata síndrome do pânico com meditação

O Brasil é um dos cinco países com mais pessoas ansiosas no mundo. O pensamento pode ser o começo da síndrome do pânico e da ansiedade, assim como o inverso. Como não se deixar capturar pela ansiedade que a nossa própria mente gera?



 O neurologista Tarso Adoni explicou que acontecimentos externos podem desencadear crises de pânico. E como lidar com a ansiedade sem que ela se torne doença?

 Quem respondeu foi o consultor e psiquiatra Daniel Barros. O Bem Estar desta quinta-feira (27) contou histórias de três pessoas que encontraram na meditação o tratamento para ansiedade e síndrome do pânico.

 A cabelereira Neia de Almeida Santana Marques teve a síndrome do pânico. Ela fez uso de medicamentos e também da meditação. Já o Leo não conseguia passar no vestibular por causa da ansiedade.

 Depois que começou a meditar, conseguiu entrar na USP.
Angélica e Mariana Ferrão meditando (Foto: Reprodução/TV Globo)


terça-feira, 18 de abril de 2017

Nem direita nem esquerda, precisamos é de uma nova consciência

Todos os cidadãos que estão acompanhando, o que está ocorrendo atualmente com o nosso país,  estão no mínimo assombrados, com tantas sujeiras e podridões, que tem surgido diariamente no cenário político, o que tem mostrado na prática- que a política tem sido apenas um bom negócio para os políticos, e um péssimo negócio para as pessoas de bem.

Só observação

 Interrogante: Você nos diz para observarmos nossas ações na vida diária, mas qual é a entidade que decide o que observar e quando? Quem decide se a pessoa deveria observar? 

 Krishnamurti: Você decide observar? Ou você simplesmente observa?

 Você decide e diz, “Eu vou observar e aprender”? Porque então vem a pergunta: “Quem está decidindo?” É a vontade que diz, “Eu devo”? E quando isto falha, ela se castiga e diz, “Eu devo, devo, devo; nisso há conflito; portanto, o estado da mente que decidiu observar não é de fato observação. 

Você está andando por uma rua, alguém passa por você, você observa e pode dizer para si mesmo, “Como ele é feio; como ele cheira; quero que ele não faça isso ou aquilo”. Você está consciente de suas reações ao passante, está consciente que está julgando, condenando ou justificando; você está observando. 

Você não diz, “Eu não devo julgar, não devo justificar”.

 Ao estar consciente de suas reações, não há de fato decisão. Você vê alguém que lhe insultou ontem. Imediatamente você está pronto para a luta, fica nervoso ou ansioso, começa a não gostar; estar consciente de seu desgosto, estar consciente de tudo isso, não “decidir” estar consciente. 

Observar, e nessa observação não há nem o “observador” nem o “observado” – existe apenas a observação acontecendo.

 O “observador” só existe quando você acumula na observação; quando diz, “Ele é meu amigo porque me elogiou”, ou, “Ele não é meu amigo, porque disse alguma coisa desagradável sobre mim, ou alguma coisa verdadeira de que não gosto”. 

Isso é acumulação através da observação e essa acumulação é o observador. Quando você observa sem acumulação, então não há julgamento. 

Você pode fazer isto o tempo todo; nessa observação naturalmente certas decisões definidas são tomadas, mas as decisões são resultados naturais, não decisões feitas pelo observador que acumulou.

 J.Krishnamurti 

sábado, 15 de abril de 2017

O OUTRO PAR

O filme egípcio "O OUTRO PAR", com apenas 4 minutos de duração, ganhou o prêmio de melhor curta em festival de cinema.
 A diretora tem 20 anos de idade. 

 A Lei do Retorno. 

 Faça pelos outros , o que você​ gostaria que fizessem por você​.

domingo, 9 de abril de 2017

Células tumorais expostas à 'Quinta Sinfonia', de Beethoven, perderam tamanho ou morreram

Drª Márcia Capella, coordenadora do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, coordenou a pesquisa do Programa de Oncobiologia da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) que expôs células ligadas ao câncer de mama à 5ª Sinfonia de Beethoven e a Atmosphères de György Ligeti. 


1 em cada 5 células desapareceu e as sobreviventes diminuíram de tamanho. Tradicionalmente a musicoterapia é já largamente utilizada em desordens emocionais. Este estudo comprova que “a música produz um efeito direto sobre as células do nosso organismo“. O resultado é enigmático para a cientista.

 O sucesso de 2 composições aparentemente tão distintas procura junto de professores de música associações por via do ritmo, timbre ou intensidade. Depois de descobrir a causa responsável pela alteração das células, a intenção é “construir uma sequência sonora especial para o tratamento de tumores”.

quarta-feira, 29 de março de 2017

SUS vai oferecer ioga, meditação e outras 12 terapias

Ministério da Saúde publicou portaria incluindo 14 atividades que vão compor a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares

Ioga: segundo SUS, objetivo é "valorizar os saberes populares e tradicionais e as práticas integrativas" (lululemon athletica/Wikimedia Commons)


São Paulo – O Ministério da Saúde publicou no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira, 28, portaria em que inclui ioga, biodança, meditação e outras 11 terapias alternativas no Sistema Único de Saúde (SUS).

 São elas: arteterapia; ayurveda; dança circular; musicoterapia; naturopatia; osteopatia; quiropraxia; reflexoterapia; reiki; shantala; e terapia comunitária integrativa.

 Com a portaria, as 14 atividades passam a compor a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares.

 Já faziam parte desse grupo homeopatia; medicina tradicional chinesa; medicina antroposófica; plantas medicinais e fitoterapia; e termalismo social/crenoterapia.

 Segundo o texto publicado no DOU, um dos objetivos da inclusão das 14 práticas no SUS é “valorizar os saberes populares e tradicionais e as práticas integrativas e complementares”. O ministério levou em conta uma orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS) que “incentiva e fortalece a inserção, reconhecimento e regulamentação destas práticas, produtos e de seus praticantes nos sistemas nacionais de saúde”. 

 “Neste sentido, (a OMS) atualizou as suas diretrizes a partir do documento Estratégia da OMS sobre Medicinas Tradicionais”, diz o texto do Diário Oficial.

 De acordo com o ministério, as medicinas tradicionais e complementares são compostas por “abordagens de cuidado e recursos terapêuticos que se desenvolveram e possuem um importante papel na saúde global”.

Fonte:Exame.com

domingo, 5 de março de 2017

O que realmente funciona para mim ?

"Na vida, podemos escolher para viver as realidades de outras pessoas ou podemos optar por criar as nossas próprias. A maioria das pessoas tentam viver dentro da caixa do que outras pessoas definem como valioso, em vez de perguntar, 'O que realmente funciona para mim"? " - Gary Douglas 

 Se você tivesse as ferramentas para criar a mudança que você nem sabia que você poderia pedir .. o que seria possível para você e para o mundo que você não considerou ainda?

Apenas pergunte e não busque a resposta intelectualmente, deixa vir, dessa forma damos oportunidade para que a resposta venha fora da caixa ou do sistema de crença.

Perguntar ao universo é uma das ferramentas das Barras de Access Consciousness.

quinta-feira, 2 de março de 2017

E se o impossível fosse possível?

Artigo retirado do Portal Nós Quânticos titulo original 3 FERRAMENTAS DA OBRA “BEING YOU” PARA VOCÊ PARAR DE JULGAR O SEU CORPO!


E se o impossível fosse possível? 


Em uma entrevista concedida à Amelia Burton, em uma rede de TV australiana, Dain Heer, Co-fundador de Access Consciousness® explicou que existem maneiras bem mais fáceis e prazerosas de viver. 

“Muitas pessoas querem mudar sua aparência por não gostarem de seus corpos. 

Mas o que aconteceria se fizessem essa mudança de uma forma divertida?”, indagou. 

“Se você, por exemplo, acordasse e praticasse algum exercício somente por diversão? E, se depois, dissesse o quanto foi incrível fazer isso e, assim, ser grato à você ao invés de julgar-se?” 

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Método que provê cura por conexão com universo ganha adeptos no AM

Método que provê cura por conexão com universo ganha adeptos no AM

Ive Rylo Do G1 AM

Praticante de 'Cura Reconectiva', Walter Neto, "descobriu" os estudos de Eric Pearl em 2015 (Foto: Ive Rylo / G1 AM)


 Não é um tratamento, mas carrega a promessa de conduzir à cura. Levar pessoas de volta ao estado natural de saúde física, mental e emocional é a proposta da "cura reconectiva".

O método baseado na medicina quântica foi desenvolvido pelo médico quiroprático Eric Pearl há 20 anos e tem ganhado adeptos no Amazonas. "É uma tecnologia que você pode usar para curar seus pacientes, as pessoas a sua volta e a si mesmo", disse o praticante da "cura", Walter Neto. Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), síndrome do pânico, ansiedade, pessoas com déficit de atenção, autismo e doenças ditas como "não tratáveis" fazem parte da lista de doenças que foram curadas ou que apresentaram significativa melhora após pacientes se submeterem à cura reconectiva.

Para saber mais:

Transmissão de Retorno á Fonte

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

O que acontece numa sessão de Barras de Access Conciousness?


Numa sessão de barras de access, quis compreender melhor, o que realmente acontece durante os momentos que corre as barras.

Uma da ferramentas que as barras ensina é fazer perguntas ao universo.


Então... quando aplicava, perguntei:

O que realmente acontece numa sessão de barras de access?


Pronto veio a resposta:

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Médicos dão dicas e falam sobre os benefícios da meditação

Como lidar com a mente inquieta?
 Meditação diminui a ansiedade, melhora a depressão e dores crônicas.


Como lidar com a mente inquieta? O Bem Estar desta quarta-feira (30) deu dicas para aprender a meditar. A meditação diminui a ansiedade, melhora a depressão, melhora as dores crônicas, diminui a frequência cardíaca, controla a pressão arterial e melhora o sono. 

Como deveriam ser as primeiras horas do recém-nascido

Alguns procedimentos após o parto são bem-vindos. Outros, apesar de muito usados, são dispensáveis na maioria dos casos




Quando um bebê nasce, ele é bombardeado por impressões, barulhos e cheiros. E tudo o que acontece nesse momento é crucial para sua saúde. A primeira hora de vida pode determinar, por exemplo, qual a probabilidade de ocorrer morte neonatal (ou seja, nos primeiros 28 dias de vida). Um estudo realizado na Austrália mostra que esse risco pode ser reduzido em 22% só com o aleitamento materno logo após o nascimento. 

domingo, 5 de fevereiro de 2017

Momentos de descanso e meditação podem fazer bem para o cérebro




Momentos de descanso e meditação podem fazer bem para o cérebro Bem Estar desta sexta-feira (2) explicou os benefícios do ócio no dia a dia.

 Programa mostrou também quais as vantagens da meditação; confira. Quando chega o feriado, muita gente aproveita para descansar e relaxar.

 No Bem Estar desta sexta-feira (2), o psiquiatra Daniel Barros e o neurologista vascular Alexandre Pieri explicaram que esses momentos de descanso da mente podem beneficiar o cérebro. Segundo os especialistas, às vezes momentos de ócio, como ler um livro ou ouvir uma música, por exemplo, ajudam a desacelerar algumas regiões cerebrais e podem fazer bem.

O problema, segundo o psiquiatra Daniel Barros, é o exagero - o ideal é ter momentos de ócio, mas não deixar isso virar um excesso já que o equilíbrio é fundamental.

 Há diferenças, no entanto, entre o ócio do descanso e o ócio durante o sono - quando a pessoa dorme, maior parte do cérebro fica lenta; já quando ela descansa, algumas áreas ficam mais ativas do que outras.

Algumas pessoas, porém, têm dificuldade em se desligar e não conseguem parar de pensar nos problemas e complicações mesmo nos momentos de folga - segundo o neurologista Alexandre Pieri, esse estresse crônico pode "esquentar" muito o cérebro e queimar a massa cinzenta.

O psiquiatra Daniel Barros acrescenta ainda que pensar muitas vezes na mesma coisa pode causar ansiedade. Uma das maneiras de resolver isso é através da meditação - pegar uma vela, por exemplo, e ficar olhando para ela pode ajudar a "limpar" a cabeça e a relaxar.

 Vale ressaltar, porém, que a meditação não aumenta a criatividade, apenas esvazia a mente e relaxa, além de outros benefícios.

A criatividade e as ideias, portanto, vêm dos momentos de devaneio e descanso, como explicou o médico.

Veja os vídeos com a reportagem completa:

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

No futuro, as pessoas não morrerão por envelhecimento, diz cientista

O biogerontologista inglês Aubrey de Grey.
O cientista britânico Aubrey de Grey, teórico no campo da gerontologia e co-fundador da Fundação SENS, argumenta que o envelhecimento é um processo completamente reversível sob a ótica da medicina regenerativa, assim como uma doença habitual. 

Ele acredita que por meio do desenvolvimento da biotecnologia no rejuvenescimento e reparação de células, será possível realizar manutenções e reparos no corpo de forma tão eficaz, que nos permitirá viver indefinitivamente com o passar do tempo.

Em vez da ciência continuar criando meios para aliviar os sintomas com dispositivos e drogas e outros procedimentos, a ideia será reconquistar a função perdida pelo corpo, regenerando a função dos órgãos e do tecido danificado.


 Este é o propósito do tratamento, que o seu corpo seja o mesmo que era antes de começar a se tratar. 

Veja a reportagem e entrevista no link abaixo:




Veja também:



domingo, 22 de janeiro de 2017

Menos medicação e mais exercício e espiritualidade contra a depressão

Fonte: G1 (*)

A receita, à primeira vista pouco ortodoxa para um psiquiatra, é do doutor Jorge Jaber, professor de pós-graduação em psiquiatria na PUC-Rio e pós-graduado em dependência química pela Harvard Medical School.

Ele celebra a evolução dos medicamentos para os pacientes que usam antipsicóticos (doentes com esquizofrenia ou transtorno bipolar, por exemplo), mas alerta para o preocupante abuso na utilização de diazepínicos – os chamados “tranquilizantes” ou ansiolíticos – que podem vir a deteriorar a saúde mental e física.

Ele lembra que dormimos menos com a idade, e exercitar-se pode ser o melhor agente para regularizar o sono, não os remédios que levam à dependência. “Utilizar a medicação não é suficiente”, afirma. “É importante que a pessoa faça exercício, se envolva com atividades de ordem espiritual, ou ligadas à arte, que inclusive se tornaram mais acessíveis aos idosos.

Somos o resultado de genética e meio ambiente.