Seguidores

domingo, 9 de março de 2014

Conheça as diferenças entre introversão e timidez



Todos já estivemos em uma festa, ou algum outro lugar, em que determinada pessoa simplesmente parece que não faz questão de estar ali. Em alguns casos, nós somos essa pessoa. Quem sofre com timidez ou introversão normalmente se frustra com aqueles que não conseguem distinguir os diferentes tipos de características. 

Portanto, este artigo visa explicar as diferentes particularidades dos dois termos. Para quem olha do lado de fora, uma pessoa introvertida muitas vezes é vista da mesma forma do que alguém tímido (não é impossível que uma mesma pessoa possua as duas características). 

O introvertido é aquela pessoa nova no trabalho, que não se esforça para arrumar um lugar junto com os outros na mesa do almoço, aqueles que preferem ler um livro em seu carro no intervalo.

 O introvertido é o ‘estranho’, aos olhos de um extrovertido. 

 O introvertido não sente a real necessidade de buscar uma interação social. Na verdade, muita interação social pode ser emocional e fisicamente exaustiva para eles.

 Um estudo recentemente feito pelo Instituto Salk, de Ciências Biológicas, sugere que há uma maneira muito diferente do cérebro enxergar o mundo nos casos de introversão.
 Para introvertidos, não existe muito mais atividade cerebral quando estão olhando para outra pessoa, em relação a quando estão encarando um objeto inanimado. 

Esta pode ser a razão biológica pelo qual introvertidos não buscam interação social – eles não se sentem estimulados por tal. Introversão é um traço biológico de personalidade, e aqueles que possuem esta condição, normalmente não se importam com o fato.

 Por outro lado, a condição de timidez pode tornar-se tão grave, incapacitante e por isso pode ser inclusive diagnosticado como um problema de saúde mental. Todo mundo pode ser tímido em determinadas situações e existem graus diferentes de timidez.
 No entanto, em casos extremos, aqueles que sofrem com esta condição podem tornar-se incapazes de resolver situações simples, como pedir informação sobre direções, e inclusive agonizam nos momentos que antecedem qualquer necessidade inevitável de interagir com outros seres humanos. Enquanto um introvertido provavelmente escolhe ficar em casa numa sexta-feira à noite por vontade própria, o tímido muitas vezes gostaria de estar em uma festa, mas acaba sentindo-se obrigado a permanecer em casa, para evitar qualquer tipo de constrangimento.

 Os introvertidos possuem muitas vezes um pequeno grupo de amigos íntimos, para os quais podem ser grandes ouvintes, conselheiros e compreensivos. Uma pessoa tímida pode achar muito difícil formar amizades íntimas, e muitas vezes se sente estranha mesmo entre familiares e pessoas que tenham conhecido por suas vidas inteiras.

 A grande diferença entre as duas condições é a maneira como a pessoa se sente em relação à sua falta de interação social. Um introvertido se sente bem com isso, e não possui problemas em ficar a sós com seus pensamentos ou realizar um jantar tranquilo, com um ou dois amigos íntimos. Para alguém que é tímido, entretanto, muitas vezes a vontade era de ter um grande ciclo de amigos, mas sentem-se incapacitados de formar novas amizades e interagir com pessoas novas.

 O importante é sentir-se bem com sua condição, e, em caso de frustração, buscar ajuda. [KnowledgeNuts]


Para vencer a timidez,  conheça uma técnica inovadora e revolucionária - no link abaixo: