Seguidores

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Meditação pode ajudar no tratamento de ansiedade e síndrome do pânico

Neia trata síndrome do pânico com meditação

O Brasil é um dos cinco países com mais pessoas ansiosas no mundo. O pensamento pode ser o começo da síndrome do pânico e da ansiedade, assim como o inverso. Como não se deixar capturar pela ansiedade que a nossa própria mente gera?



 O neurologista Tarso Adoni explicou que acontecimentos externos podem desencadear crises de pânico. E como lidar com a ansiedade sem que ela se torne doença?

 Quem respondeu foi o consultor e psiquiatra Daniel Barros. O Bem Estar desta quinta-feira (27) contou histórias de três pessoas que encontraram na meditação o tratamento para ansiedade e síndrome do pânico.

 A cabelereira Neia de Almeida Santana Marques teve a síndrome do pânico. Ela fez uso de medicamentos e também da meditação. Já o Leo não conseguia passar no vestibular por causa da ansiedade.

 Depois que começou a meditar, conseguiu entrar na USP.
Angélica e Mariana Ferrão meditando (Foto: Reprodução/TV Globo)



Quem também passou por momentos de pânico foi a apresentadora Angélica. O acidente de avião que ela sofreu com o marido e os filhos desencadeou uma síndrome do pânico.

Ela já tinha palpitações, medo incontrolável, estava tudo guardado. “Foi um momento forte, que mexeu muito comigo.”

 E a meditação mudou a vida da apresentadora.

“Mudou minha vida e eu falo isso na maior tranquilidade. Funcionou muito na minha vida e no meu emocional. No começo é difícil ter um silêncio. Você tem que se esforçar, se dedicar. Tem que ter concentração e disciplina.”
Jovem usa técnicas de meditação para aliviar a tensão antes do vestibular

A meditação pode ajudar no tratamento. A ansiedade é medo, preocupação em relação ao futuro, ou seja, alimentada pela imaginação. A meditação pode impedir esses devaneios que alimentam a ansiedade. Segundo Daniel Barros, ela ajuda a pensar de forma mais racional e a encarar os problemas sem julgamentos, dando para eles o tamanho que eles têm. 

 Crise de pânico é um evento súbito e intenso de ansiedade. Dispara o coração, sobe a pressão, respiração fica curta, falta de ar, corpo sua frio, dá taquicardia. Quando a crise acontece de forma espontânea e repetidamente, ela passa a ser considerada síndrome do pânico. Isso acontece por uma desregulação do sistema de alarme, que fica na amigdala central.


(*) VEJA  a reportagem com os vídeos AQUI