Seguidores

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Gisele Bündchen: "Acordo às 5h30 para meditar"

A supermodelo conta como conseguiu disciplina para levantar antes dos dois filhos e praticar meditação por 20 minutos. Ela diz que o sacrifício compensa


Uma série de estudos científicos revelou nos últimos anos que a meditação traz transformações físicas e mentais.

A prática das mais diversas modalidades, antes circunscritas à rotina de algumas religiões, ganhou espaço nos hospitais, usada em tratamentos médicos, e até nos escritórios (leia a reportagem completa).

 A supermodelo Gisele Bündchen contou a ÉPOCA como incorporou o hábito ao seu dia a dia e os benefícios que ele traz para sua vida. "A primeira vez em que pratiquei tinha uns 25 anos. Procurei a meditação em busca de equilíbrio porque estava bastante ansiosa e tinha uma rotina bem estressante.

A meditação ajudava a me acalmar. Na época, também fazia exercícios de respiração da ioga, chamados de Pranayamas. Mas só passei a praticar a meditação com mais frequência neste último ano.

Caio Blat: "Toda atividade é uma forma de meditação"

 Existem vários tipos de meditação. Normalmente, faço a Meditação Transcendental, que é mais fácil de encaixar numa rotina agitada. É uma técnica simples, praticada duas vezes ao dia, durante 20 minutos.

Quando estou de férias e tenho mais tempo, tento praticar algo mais longo, posso sentar por até uma hora.



O importante se sentar confortavelmente, com a coluna ereta, fechar os olhos, concentrar-se na respiração e tentar limpar o pensamento.

 Ajuda focar num mantra quando você sentir que a mente está pulando de pensamento para pensamento. Quanto mais tempo você pratica, mais consegue ampliar os espaços sem pensamento e esvaziar a mente.

Os budistas chamam de acalmar a “monkey mind” (mente do macaco), que está sempre pulando de um pensamento para o outro. Como qualquer mudança na vida, a prática da meditação também é um desafio.

Julia Lemmertz: "Já meditei até em avião"

É preciso foco, determinação e dedicação. Com o tempo, ela se torna um hábito. Eu já iniciei várias vezes e parei. Hoje em dia, percebi que para funcionar para meu estilo de vida, preciso colocar o alarme de manhã cedinho e praticar antes que as crianças acordem.

Costumo praticar 20 minutos quando o sol está nascendo, por volta das 5:30 da manhã, e 20 minutos pela tarde, antes de o sol se por. Prefiro sempre estar em algum lugar onde entra o sol. Mas já pratiquei nos mais diferentes lugares: camarim, carro, avião. Tudo depende de onde estou. 

Geralmente, sento em uma almofadinha confortável, no chão, com as pernas cruzadas (posição de lótus), tentando sempre deixar a coluna ereta. Caso eu só tenha um momento no dia para meditar, prefiro de manhã, assim começo o dia renovada.

 Até descobrir como melhor encaixar a meditação na minha rotina, levou certo tempo. O sacrifício compensa, pois considero que é mais importante conseguir praticar os 20 minutos de meditação, do que dormir por mais 20 minutos.

As novas formas de meditar

Esta foi a forma que encontrei para ter mais constância na prática. Com a meditação, sinto-me mais calma e consciente dos meus sentimentos. Estou muito mais presente em qualquer situação. Agora, consigo parar, respirar e observar a situação antes de agir.

 Assim, posso tomar decisões menos impulsivas, mais conscientes e, consequentemente, me expressar melhor.

Claro que, às vezes, ainda repito comportamentos, mas consigo perceber no momento seguinte. Assim, posso tomar uma atitude mais rápida para corrigi-los.

 Acredito que todas as respostas estão dentro de nós. Quando conseguimos aquietar a mente, conseguimos escutar mais nosso coração, nosso ser interior."

Fonte:ÈPOCA