Seguidores

sábado, 18 de julho de 2015

Os rótulos



Quais seriam os ingredientes de si mesmo, que nos levam a rotular as pessoas?

O que ganhamos ao rotular ?

Na verdade, se refletirmos um pouco, os rótulos nos impede de nos relacionar verdadeiramente com as pessoas.

Quando rotulamos, não conseguimos entrar na essência, na beleza das coisas e ficamos na superfície tanto de nós mesmos, como do mundo que nos rodeia.

Uma das necessidades psicológicas de rotular as pessoas é o  medo do desconhecido e os rótulos nos dá uma falsa sensação de  saber.

Muito fácil de perceber isso, quando acabamos de conhecer alguém, ou quando entramos em um novo ambiente de trabalho ou mudamos para um local diferente.

A principio somos um desconhecido.

Nos contatos iniciais das pessoas que se aproximam, sempre há a necessidade de enquadrar o desconhecido, em algum rótulo e quando não fazem, sentem incomodados.

Porém, quando olhamos algo ou alguém através de um rótulo, não conseguimos penetrar na essência ou na verdadeira natureza e apenas nos relacionamos com uma imagem pré concebida e a vida, perda sua verdadeira beleza ,encantos, mistérios e descobertas.

Quando dizemos - Sim conheço fulano ... ele é o jardineiro, o pintor, o professor, o  advogado,o gari, o professor, o doutor, a  dona de casa, o bêbado, o prefeito, o pastor, o padre, o cristão, o muçulmano, o budista etc., são apenas rótulos, que não remete a verdadeira natureza.

O que faz ou a ocupação de uma pessoa, e suas crenças e descrenças, é apenas uma fração minúscula e temporária  de uma pessoa.

Quando conseguimos nos enxergar e enxergar os outros, além dos muros e limitações dos rótulos, de uma forma livre, é uma comunicação de alma para alma e aqui nasce então o verdadeiro entendimento e empatia.

Antes dizer fulano de tal é aquele bêbado, trapaceiro, professor, religioso etc., lembrem que antes de tudo, ele é - como você é, um SER HUMANO.

Mas, o que é um SER HUMANO ?

Para finalizar abaixo uma bela de uma reflexão: