Seguidores

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

O fígado, na nova medicina



“Os anatomistas e fisiologistas analisaram o corpo do homem e reduziram-no a uma massa de carne e ossos. Chegaram a notáveis descobertas sobre a anatomia e a fisiologia humanas, mas somente no terreno material.
Não descobriram e nem tentaram descobrir as coisas mais secretas, as coisas intangíveis, as coisas que os hindus, chineses e tibetanos conheciam desde há muitos e muitos séculos antes da Cristandade”.
Lobsang Rampa

Cada órgão de nosso corpo, tem a sua inteligência própria, e uma ligação com a parte emocional do ser humano.
Ao contrário da medicina alopática, as diferente correntes da medicina alternativa ou integrativa como gosta de definir o Professor Walace Lima, encara uma enfermidade, como uma oportunidade de auto conhecimento e superação interna.

Por de trás de uma enfermidade, existem  conflitos, sentimentos e crenças que deram origem e também a sustenta.

Na nova medicina germânica, muitas enfermidades, tem um evento impactante que lhe deu origem  e após o impacto, as células afetadas do cérebro comunicam o choque ao órgão correspondente que, por sua vez, responde com uma alteração particular previsível  e quando o conflito  não se resolve, se transforma em um problema crônico.

Um terapeuta, que trabalha com a nova medicina, ele busca o evento, que deu origem a reação biológica ou enfermidade e leva o cliente a um novo olhar sobre o evento e sobre a vida como um todo, e uma vez que se corrige o programa inicial que deu a origem a enfermidade, se inicia um processo de auto cura.


O fígado, na nova medicina, esta ligado ao contexto de FALTA.
Falta de dinheiro, de comida, de fé, da família etc.
Sempre há um evento, impactante e inesperado, ligado a esse contexto que poderá levar a um problema no fígado, dependendo da percepção da pessoa.

Nesses dias,  fiz uma sessão com  uma senhora de 52 anos,  com esteatose hepática  há muitos anos.

Ao buscar a origem, a alteração no fígado dessa pessoa começou aos 12 anos idade, que segundo ela, foi a idade, onde ela começou a perder a inocência e cair na "real", e a perceber aos poucos a condição financeira da família, onde faltava muitas coisas e ela foi criando sentimentos relacionados as coisas que ela não tinha, e outras pessoas tinham; foi a partir dessa idade percebendo essas diferenças.

Esses sentimentos foram como pequenos grânulos de areia de cor marrom, que foram se acumulando e provocando, alterações no fígado.

As brigas que ela foi presenciando, entre seu pai e sua mãe, também foram se acumulando no fígado e como que envenenando-o, pouco a pouco.

O resultado de tudo isso, foi a formação de apegos pessoais, materiais e a pessoas, porque como ela não tinha o suficiente, e o que tinha, ela tinha que conservar e proteger muito bem.

Hoje, mesmo estando em uma situação econômica e familiar totalmente distinta,  ela tem conflitos com pessoas que jogam as coisas e também muitas dificuldades em desfazer de coisas ou objetos, mesmo que não se esta usando mais.

A situação externa mudou, mas, a programação inicial, permanece viva em suas células condicionando sua realidade e/ou percepção atual  e trazendo/mantendo a enfermidade no fígado.

Junto a essa situação, as pessoas, olhavam para ela e diziam - coitadinha, e com isso jogavam uma energia negativa, que também se acumulou no fígado e contribui até hoje, com  mais de 50% com seu estado atual.

Toda vez, que achamos um pessoa "coitadinha", estamos  jogando uma energia totalmente negativa para essa pessoa.

Quando deparamos com alguém, que esta passando por uma dificuldade, se poder ajuda, ajude -  mas sem cobrar e sem jogar essa energia que a  pessoa é um coitada, fazer com amor e felicidade,  dessa forma parte da energia volta da pessoa para nós em forma de energia de amor e caso contrário, estamos prejudicando energeticamente essa pessoa.

Essa pessoa já havia passado, pelos salto quântico genético,  e por esse motivo, ela teve facilidade em acessar essas memórias, e nessa sessão trabalhei com as duas técnica de cura - frequência de cores/energia, e também com o bioalinhamento (nova medicina).

Foi o inicio de um processo de cura.

Imagine seu corpo como uma grande orquestra e cada órgão, um componente dessa orquestra.
Quando uma pessoa esta bem, a orquestra esta afinada e tocando uma bela canção.

Quando um órgão esta doente, é como se um dos integrantes, dessa orquestra se desafinasse e naturalmente irá influenciar no todo.

Um terapeuta, será aquele que irá te auxiliar a encontrar a nota perdida e afinar novamente seu instrumento.

Além de consultar seu médico, frente a uma enfermidade, também busque um terapeuta para lhe auxiliar a buscar a causa e iniciar ai, uma jornada de descoberta , auto conhecimento e auto cura.