Seguidores

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Observador é o Observado

Uma imagem, como o observador, observa dúzias de outras imagens em sua volta e dentro de si mesmo, e diz, "Eu gosto desta imagem, vou mantê-la" ou "Não gosto desta imagem então vou descartá-la", mas o próprio observado foi construído pelas várias imagens que surgiram pela reação à várias outras imagens. Então chegamos ao ponto em que podemos dizer, "O observador é também a imagem, apenas se separou e observa". 

Este observador que surgiu pelas várias outras imagens pensa em si mesmo como permanente e entre ele mesmo e as imagens que ele criou existe uma divisão, um intervalo de tempo. Isto cria conflito entre ele mesmo e as imagens que ele crê serem as causas de seus problemas. Daí ele diz, "Devo me livrar desse conflito", mas o próprio desejo de livrar-se do conflito cria outra imagem.

 A consciência de tudo isto, que é verdadeira meditação, revelou que existe uma imagem central formada por todas as outras imagens, e a imagem central, o observador, é o censor, o experimentador, o avaliador, o juiz que quer conquistar ou subjugar as outras imagens ou destruí-las completamente. As outras imagens são o resultado de julgamentos, opiniões e conclusões do observador, e o observador é o resultado de todas as outras imagens – portanto o observador é o observado. - 

J.Krishnamurti





A divisão entre o observador e o observado.

 Há uma divisão entre o observador e o observado; isto é, você olha para a vida como um observador, como algo separado da sua vida. Certo? 

Então, há uma divisão entre o observador e o observado. Essa divisão é a essência de todo conflito, a essência de toda luta, dor, medo, desespero. Onde houver divisão entre os seres humanos – a divisão das nacionalidades, a divisão das religiões, as divisões sociais – tem de haver conflito. 

Isso é lei, isso é razão, lógica. Há o Paquistão de um lado e a Índia do outro, guerreando entre si. Você é brâmane e outro é não brâmane, e há ódio, divisão.

Então, essa divisão exteriorizada, com todos os seus conflitos, é a mesma que a divisão interior, aquela entre observador e observado. 

Você compreendeu isso? Se você não compreende isso, não pode prosseguir, pois a mente que está em conflito é uma mente torturada, uma mente deformada, uma mente distorcida.

 J.Krishnamurti